Reunião Das Águas


Barcode - Reunião


Reunião Das Águas

 

Personagens

Dr. Pôncio (político ou autoridade)
Sr. Cônscio (representante de uma entidade que luta pela despoluição das águas)

Figurantes

Secretário
Secretária

Roteiro

Na sala de espera, o Sr. Cônscio está sentado num sofá. À sua frente, sentados em duas mesas, no meio do palco, separando a sala de espera da sala do Dr. Pôncio, dois secretários fazem “guarda” à porta. Dr. Pôncio esta em sua mesa, lendo uma revista, displicentemente. Ele olha o relógio, mas continua lendo. Olha o relógio outra vez. Aperta um botão (fictício ou real, mas que resulte em uma campainha) em sua mesa.

Dr. Pôncio: Dona Rosinha!

Secretária levanta-se e entra na sala.

Dr. Pôncio: (em voz baixa) Ele já foi embora?

Dona Rosinha coloca o dedo sobre a boca fazendo sinal de silêncio. Na ponta dos pés, para não fazer barulho, ela volta até a porta e espia para a sala de espera. Volta para onde está o Dr. Pôncio e sacode a cabeça negativamente.

Dr. Pôncio: Está bem, deixe para lá. Ele não vai ficar aqui o dia todo! Volte para o seu trabalho!

Dona Rosinha sai.

Dr. Pôncio: Mas que coisa! É só conseguir uma posição de respeito e enche de gente pedindo favores!

Dr. Pôncio volta a ler sua revista.

Sr. Cônscio: (atendendo o celular na sala de espera) Oi! Tudo… não, ainda não. Parece que vai demorar… (olha para os secretários e pergunta) Já acabou a reunião?

Os dois secretários sacodem a cabeça negativamente.

Sr. Cônscio: (voltando a falar no celular) Ainda não… deve demorar, pois está em reunião desde que cheguei! O quê? (olha o relógio) Já faz umas 4 horas?! (desliga o celular)

Dr. Pôncio olha o relógio e continua lendo. Olha o relógio outra vez. Aperta o botão para chamar a secretária.

Dr. Pôncio: Dona Rosinha!

A secretária levanta-se e entra na sala.

Dr. Pôncio: Já li toda a revista. Sei tudo sobre a novela das sete! Pode levar a revista pra lá. Já decidi! Vou atender o representante. Assim a gente se livra dele e eles não nos incomodam mais!

Dona Rosinha pega a revista e sai pela porta. O Dr. Pôncio ajeita a roupa (coloca o paletó, por exemplo) e vai até a porta, abrindo-a.

Dr. Pôncio: Olá, amigo, entre!
Sr. Cônscio: Olá, Dr. Pôncio… obrigado por nos receber. Eu sou membro da comissão que deseja a despoluição das águas de nosso planeta.
Dr. Pôncio: Ah, claro. O movimento que quer eliminar a poluição! Senhor… Cônscio?
Sr. Cônscio: Sim, isso mesmo. Muito prazer! Olha, estamos com um abaixo assinado… (entrega ao outro uma lista de papel enorme)
Dr. Pôncio: Espere aí, deixe-me ver. Nossa! Quanta gente interessada!
Sr. Cônscio: Quase toda a população participou!
Dr. Pôncio: Bom, acho que a água é importante mesmo… mas do que reclamam? Fora o cheiro, o gosto e a cor, a água sempre chega tão limpinha!
Sr. Cônscio: A poluição está acabando com nossos mananciais!
Dr. Pôncio: Mananciais?
Sr. Cônscio: Restam poucas fontes limpas na natureza! Precisamos agir enquanto é tempo!
Dr. Pôncio: Tempo? (olha o relógio)
Sr. Cônscio: Dr. Pôncio, não podemos continuar a beber, cozinhar e usar água suja! A água está poluída!
Dr. Pôncio: A água está poluída?
Sr. Cônscio: O senhor precisa agir com sapiência!
Dr. Pôncio: (faz uma cara de sapo) Sapiência?
Sr. Cônscio: Pelo poder que o senhor tem em mãos, você pode decidir o nosso futuro!
Dr. Pôncio: Futuro! (faz um gesto e interrompe outro)

Dr. Pôncio olha o relógio e aperta o botão para chamar a secretária.

Dr. Pôncio: Dona Rosinha!

Dona Rosinha entra na sala.

Dr. Pôncio: Dona Rosinha! A água! Está na hora de lavar as mãos!

Dona Rosinha sai.

Dr. Pôncio: Bom, meu amigo! Estou muito sensibilizado com sua causa! Pena que este problema esteja além do alcance das minhas mãos…
Sr. Cônscio: Mas só o senhor…
Dr. Pôncio: (faz de novo o gesto que interrompe a fala do outro) Sobre esse assunto, a reunião está encerrada!

Dona Rosinha volta com o secretário. Um deles está segurando um jarro e o outro, uma bacia. Eles deixam tudo sobre a mesa e saem.

Dr. Pôncio: Lavo minhas mãos!
Sr. Cônscio: Como Pôncio Pilatos…
Dr. Pôncio: Pode pegar aquela jarra?

Sr. Cônscio pega a jarra. Dr. Pôncio coloca as mãos sobre a bacia enquanto o outro derrama o líquido do jarro sobre as mãos do Dr. Pôncio (o líquido deve estar sujo, deixando as mãos de uma outra cor).

Dr. Pôncio: Opa! Mas o que está acontecendo?
Sr. Cônscio: Não falei que a água estava poluída?
Dr. Pôncio: Mas ninguém disse que era a minha água!
Sr. Cônscio: A água é de todos! Se estiver poluída, todos nós pagamos pelas conseqüências!
Dr. Pôncio: Conseqüências! Tem razão, amigo, obrigado! Só agora percebi o problema! Pode deixar que eu darei um jeitinho.
Sr. Cônscio: Está bem! Confiamos em sua capacidade, ou não estaria neste cargo! Adeus!
Dr. Pôncio: Adeus!

Despedem-se e o Sr. Cônscio sai.

Dr. Pôncio: Por que ninguém me avisou que a poluição havia chegado ao palácio? Preciso fazer alguma coisa!

Dr. Pôncio aperta o botão para chamar a secretária.

Dr. Pôncio: Dona Rosinha! Venham os dois aqui!

Dona Rosinha entra com o outro secretário.

Dr. Pôncio: Dona Rosinha! A poluição está acabando com nossos mananciais! Restam poucas fontes limpas na natureza!

Dr. Pôncio pára um pouco e faz o gesto para interromper a fala dos secretários como se eles fossem falar algo.

Dr. Pôncio: Precisamos agir enquanto é tempo! Não posso lavar as mãos com água poluída! Preciso agir com sapiência!

Os secretários olham um para o outro sem entenderem nada.

Dr. Pôncio: (erguendo um dedo, como se tivesse tido uma ideia muito inteligente) Pelo poder que tenho em mãos eu decido: Dona Rosinha, mande importar toda a água mineral de outros países para que eu possa continuar a lavar as minhas mãos!

Os secretários pensam um pouco, não entendem nada e depois começam a aplaudir o Dr. Pôncio, que agradece, fingindo modéstia…


© Victor M. Sant’Anna

Direitos Reservados – não copie sem autorização!


Barcode - Reunião

Leave a comment